Bruxismo – As crianças com hábito de ranger os dentes

O bruxismo ou, preferencialmente, briquismo (do grego βρυχμός [brýkhmós], “ranger os dentes”) é um hábito parafuncional que leva o paciente a ranger os dentes de forma rítmica durante o sono ou, menos prejudicialmente, durante o dia. É observada em pacientes de todas as idades e geralmente está relacionada ao alto nível de stresse. Ocorre em cerca de 15% das pessoas. Pode causar desgastes nos dentes e agir como um dos fatores causais das dores de cabeça e distúrbios da articulação temporomandibular. Ranger os dentes à noite e apertá-los durante o dia formam um problema progressivo que o paciente frequentemente não nota e só é apercebido se prestar atenção na própria tensão muscular ou se o rangido noturno é escutado por outrem. O diagnóstico geralmente é feito depois que surgem algumas complicações como desgastes nos dentes, dores na musculatura mastigatória, estalidos nas articulações, perdas ósseas na mandíbula e maxila, travamento das articulações temporomandibulares etc.

O problema de ranger os dentes
O problema de ranger os dentes

Causas e consequências do bruxismo

A frequência e severidade do bruxismo estão altamente associadas ao estresse emocional e físico. Quando noturno, o bruxismo envolve movimentos rítmicos semelhantes aos da mastigação, com longos períodos de contração dos músculos mandibulares, podendo ser a causa da dor muscular e da fadiga. Um alinhamento incorreto dos dentes e o fechamento inadequado da boca costumam estar presentes em grande parte dos casos. A doença pode atingir qualquer pessoa não tendo relação direta com a faixa etária. A incidência é maior nas mulheres que nos homens.

O esmalte dentário é o primeiro a receber os danos do bruxismo, causando assim o desgaste anormal dos dentes, podendo se estender até a gengiva, causando dor. Em dentes mais frágeis, sejam eles cariados ou tratados, a fricção pode provocar quebra e fissuras. As dores de cabeça tensionais são comuns nos portadores de bruxismo. Elas surgem por contração excessiva dos músculos da mastigação, podendo atingir rosto, pescoço, ouvido e até ombros. Outro problema decorrente do bruxismo é dor na articulação temporomandibular (localizada no osso do crânio e mandíbula). Esta também pode sofrer estalos, travamento, restringir a abertura da boca e desviar para o lado ao abrir e fechar.

Fisiopatologia

Inversão parassimpático / simpática associada ao microdespertar.

O bruxismo ocorre principalmente durante o estágio 2 de sono não-REM.

Tratamento

Os dentistas são os profissionais indicados para fazer o diagnóstico e o tratamento do bruxismo. Os fisioterapeutas podem oferecer tratamento de suporte para dor muscular causada pelo bruxismo e, além disso os fonoaudiólogos também podem ajudar a detectá-lo.

O primeiro passo é reconhecer o problema e tentar achar suas causas no dia-a-dia. A terapia mais empregada atualmente para o alívio dos sinais e sintomas da articulação temporomandibular associada ao bruxismo é a utilização de placas interoclusais. Essas placas reduzem a atividade dos músculos durante a noite e protegem os dentes dos desgastes provocados pelo hábito. Outro passo importante é diminuir a tensão psicológica. Isto pode ser feito mediante a prática de esportes e exercícios de relaxamento. Já os distúrbios psiquiátricos como depressão e ansiedade devem ser aliviados e medicados, se necessário, através da psicoterapia. Hábitos como mascar chicletes, morder ou apertar objetos devem ser considerados como um vício concomitante do bruxismo e, portanto, eliminados durante o tratamento. O portador de bruxismo deve visitar constantemente o fisioterapeuta ou dentista para que seja acompanhado pelo profissional.

*Fonte: pt.wikipedia.org

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *